Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Ouvido de mercador

Fora a emissão de assessores do Ministério das Comunicações para o plenário no dia da votação (Leia mais em: Pela metade), o Planalto não se moveu um milímetro para evitar o fracasso da tramitação do projeto do Marco Civil da internet. Ideli Salvatti fez ouvido de mercador aos alertas dos seus assessores que monitoram a […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 07h25 - Publicado em 14 nov 2012, 17h28

Ideli: sem atuação

Fora a emissão de assessores do Ministério das Comunicações para o plenário no dia da votação (Leia mais em: Pela metade), o Planalto não se moveu um milímetro para evitar o fracasso da tramitação do projeto do Marco Civil da internet.

Ideli Salvatti fez ouvido de mercador aos alertas dos seus assessores que monitoram a Câmara: a derrota estava se desenhando.

A base aliada e as empresas de telecomunicações vibraram com a omissão. Capitaneada por Eduardo Cunha, a bancada do PMDB, aliada as de PDT, PSD e PPS, trabalhou por mais uma derrota do projeto que, ao menos em tese, interessava ao governo.

Da semana passada até ontem, a articulação mais eficiente foi feita pelos lobistas das teles, enviados em peso à Câmara.

Continua após a publicidade
Publicidade