Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia e Mariana Muniz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Osmar Terra segue firme na campanha para ocupar lugar de Mandetta

Ex-ministro defendeu a posição de Bolsonaro contra isolamento social: 'Admiro a coragem do presidente de se posicionar contra uma correnteza de pânico'

Por Robson Bonin Atualizado em 6 abr 2020, 08h14 - Publicado em 6 abr 2020, 08h03

Osmar Terra batizou de “Medo e coragem” o texto que escreveu para apoiar Jair Bolsonaro e sua luta contra o isolamento social na guerra ao coronavírus. No artigo publicado pela Folha, além de reprovar a medida adotada pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, como estratégia de ação — a parte do “medo” –, Terra cita posições de especialistas que defendem a reabertura das cidades e a deliberada contaminação da população como forma imunização e controle da pandemia, a “coragem”.

“É o aumento do contágio por assintomáticos (mais de 90% dos casos) que faz uma epidemia de um vírus sem medicação específica e sem vacina parar de progredir e terminar. A maior parte da população já imunizada reduz a progressão e acaba protegendo a parcela que ainda não foi contaminada. Isso ocorre em todas as epidemias/pandemias virais e produz um padrão em forma de uma curva, que sobe com o aumento rápido do número de casos, estabiliza quando a maioria da população já foi contaminada, e cai provocando o fim da epidemia”, escreve Terra

O ex-ministro também fala das questões econômicas da crise. “Nesta epidemia, as consequências da quarentena radical serão arrasadoras. O isolamento e o bloqueio da atividade econômica estão precipitando uma quebradeira geral, o que será seguido por desemprego e perda de renda de gigantesca massa de trabalhadores”, diz Terra.

Na sequência, elogia o presidente: “Compartilho da mesma posição do presidente Jair Bolsonaro de que é possível superar a epidemia e reduzir as perdas humanas sem radicalizar com isolamentos que vão quebrar o país e jogar milhões de brasileiros na miséria. E admiro a coragem do presidente de se posicionar contra uma correnteza de pânico, se recusando a pegar carona no medo, pensando no futuro do nosso país.”

Terra, como se vê, caminha a passos largos para substituir Mandetta na Saúde.

Continua após a publicidade
Publicidade