Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Os temas do discurso de Bolsonaro na Assembleia Geral da ONU, em Nova York

O presidente será o primeiro a falar na abertura da reunião, no próximo dia 21

Por Gustavo Maia Atualizado em 9 set 2021, 12h14 - Publicado em 9 set 2021, 12h30

A primeira versão do discurso de Bolsonaro na abertura da Assembleia Geral da ONU, no próximo dia 21, em Nova York, já saiu do Itamaraty e seguiu para o Palácio do Planalto. Na mão dos auxiliares mais próximos do presidente, como o assessor Filipe Martins, o texto ainda deve sofrer alterações — provavelmente ideológicas.

A mensagem foca nas três grandes preocupações da política externa: a diplomacia da saúde, a retomada da economia após a pandemia e o meio ambiente.

Bolsonaro também deve aproveitar para exaltar a recente eleição do Brasil para uma vaga no Conselho de Segurança da ONU, uma rara notícia positiva na política externa do seu governo.

Segundo quem participa das discussões sobre o discursos, possivelmente haverá alguma nova menção à Venezuela. Ainda há chances de que o presidente brasileiro, o primeiro a falar no evento, cite a recente concessão de vistos humanitários a afegãos que fogem do Talibã.

Em Nova York, por sinal, Bolsonaro pode ter um encontro o secretário-geral da ONU, o português Antônio Guterres. Também está nos planos do Itamaraty a participação em um evento sobre as mudanças climáticas. As possíveis reuniões bilaterais ainda estão sendo avaliadas, e sob sigilo, duas semanas antes da assembleia.

Continua após a publicidade
Publicidade