Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Os números que deixarão o churrasco fúnebre de Bolsonaro na história

Enquanto a turma estiver festejando no Alvorada, brasileiros perderão a vida, famílias enterrarão seus mortos e milhares chorarão de saudade no sétimo dia

Por Robson Bonin Atualizado em 8 Maio 2020, 19h27 - Publicado em 8 Maio 2020, 19h18

Neste sábado, enquanto Jair Bolsonaro estiver gargalhando com seus cupinchas na churrasqueira, ao redor da imensa piscina do Palácio da Alvorada, servido por um batalhão de garçons pagos com dinheiro público, 395 famílias estarão cumprindo o doloroso luto da missa de sétimo dia.

Será o momento de chorar novamente a saudade de filhos, pais, mães, avós, avôs, parentes e amigos queridos que perderam a luta para o coronavírus.

Neste sábado de churrascada para Bolsonaro, 751 famílias estarão enfrentando o horror de enterrar parentes queridos que morreram nas últimas 24 horas vítimas de coronavírus. Sem direito a velório.

Enquanto Bolsonaro estiver comendo sua picanha, um número igualmente devastador de pessoas estará morrendo nos hospitais neste sábado.

É com esses números que o churrascão de Bolsonaro entrará para a história do país.

Continua após a publicidade

Publicidade