Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Gabriel Mascarenhas (interino) Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Os minoritários e a disputa das teles pela Oi

Consórcio de companhias está na briga pela operação de telefonia móvel

Por Robson Bonin Atualizado em 21 ago 2020, 15h54 - Publicado em 21 ago 2020, 14h30

Acionistas minoritários da Oi têm visto como um movimento natural a eventual compra da Oi Móvel pelas teles Claro, TIM e Vivo.

Acreditam que o ativo móvel precise de muito investimento, o que vai demandar à frente do negócio empresas com balanço forte e já posicionadas no segmento.

O que se diz é que a InfraCo, o segmento de fibra da Oi, está negociando junto às teles um contrato de serviço de longo prazo, atrelado à venda da operação móvel e que seria importante para as teles receber o status de “stalking horse” (primeiro proponente) da Oi antes da assembleia de credores.

Recentemente, em fato relevante, a companhia informou que, “em função da ampla demanda” pela InfraCo, o valor mínimo da empresa será de 20 bilhões de reais. A intenção da Oi é se desfazer de 25% a 51% das ações da empresa.

Continua após a publicidade
Publicidade