Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Os aniversários do caso Lulinha-Gamecorp

Na sexta-feira faz um ano que foi distribuído ao ministro Jorge Mussi, do STJ, o processo sobre quem vai tocar o inquérito Lulinha-Gamecorp. O caso chegou ao tribunal porque os Tribunais da Justiça Federal de dois estados estavam em conflito quanto ao responsável por conduzir a apuração: a  Justiça do Rio de Janeiro, estado onde […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 13h49 - Publicado em 27 out 2010, 06h01

Na sexta-feira faz um ano que foi distribuído ao ministro Jorge Mussi, do STJ, o processo sobre quem vai tocar o inquérito Lulinha-Gamecorp.

O caso chegou ao tribunal porque os Tribunais da Justiça Federal de dois estados estavam em conflito quanto ao responsável por conduzir a apuração: a  Justiça do Rio de Janeiro, estado onde se localiza a sede da ex-Telemar (hoje Oi), ou a de São Paulo, local da sede da empresa do filho de Lula, Fábio Luís.

Aberto em 2007, o inquérito apura se houve tráfico influência na milionária compra dois anos antes da Gamecorp de Lulinha pela ex-Telemar.

No sábado, outro aniversário: quatro meses que o Ministério Público – favorável a deixar as investigações em São Paulo – devolveu o caso para decisão de Mussi.

Continua após a publicidade
Publicidade