Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Conteúdo para assinantes

Operação de Moro no Paraná dá tombo milionário no contrabando

Apenas na apreensão de 10.000 caixas de cigarro, o correspondente a 5 milhões de maços, prejuízo foi de 25 milhões de reais

Por Robson Bonin - Atualizado em 15 jul 2019, 20h17 - Publicado em 15 jul 2019, 16h10

Criada por Sergio Moro no início do governo, a Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça começou a colher resultados da fiscalização de fronteiras para evitar entrada de drogas, contrabando e armas no país.

Em maio, a secretaria deflagrou a Operação Hórus na região de Guaíra (PR). Os criminosos se valem da complexidade da região, como a grande extensão do Rio Paraná, por exemplo, para transportar ilícitos do Paraguai para o Brasil.

Em pouco mais de dois meses de trabalho – dados de 1º/5 a 10/7 –, a operação registrou apreensões de produtos contrabandeados com potencial de prejuízo de 35 milhões de reais aos cofres públicos. Apenas na apreensão de 10.000 caixas de cigarro, o correspondente a 5 milhões de maços, o tombo nos criminosos foi de 25 milhões de reais.

Foram apreendidos, nesse período, 43 veículos (caminhões, motos, automóveis) e 22 embarcações. Os agentes prenderam 19 pessoas e encontraram pouco mais de 1 tonelada de maconha transportada.

Publicidade

Antes de iniciar a operação, foi feito monitoramento no local (inclusive com filmagens) que mostram que saíam do Paraguai em média 200 lanchas por noite trazendo produtos ilícitos para o lado brasileiro pelo Rio Paraná. A ação é tocada em parceria com a Polícia Federal, o Exército e a Polícia Militar paranaense.

Operação apreendeu 22 embarcações no Rio Paraná Divulgação/Divulgação
Publicidade