Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

ONGs dizem que foram esquecidas pelo governo nas medidas contra a crise

Atividades filantrópicas podem ser paralisadas em todo o país

Por Manoel Schlindwein - Atualizado em 27 mar 2020, 19h07 - Publicado em 27 mar 2020, 19h04

O Banco Central anunciou medidas para apoiar pequenas e médias empresas a manter a folha de pagamento durante o período da crise causada pelo coronavírus, mas deixou de fora as 780 mil ONGs brasileiras.

Agora, a Associação Brasileira de Captadores de Recursos cobra do Banco Central a inclusão das organizações da sociedade civil como beneficiárias das medidas, garantindo a manutenção de empregos em todo o país. A estimativa é de que até 2 milhões de empregos podem ser afetados.

As ONGs, ao contrário das empresas, não têm fins lucrativos, e atuam para gerar impacto social. Sem receita por causa da pandemia, as atividades filantrópicas podem ser paralisadas em todo o Brasil. Além de desemprego, a situação pode trazer grande pressão social.

Publicidade