Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia e Mariana Muniz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O tubarão sem dentes

Em agosto, a OGPar (ex-OGX) deixa de explorar o campo de Tubarão Azul. Não é mais economicamente viável. Numa palavra, o campo está esgotado. Tubarão Azul era uma das promessas mais reluzentes de lucros para a OGX nos tempos delirantes em que Eike Batista imaginava ter uma petrolífera do tamanho de uma Petrobras. Eike prometeu […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 01h16 - Publicado em 29 Maio 2015, 08h26
O campo de Tubarão Azul: não rendeu o prometido

O campo de Tubarão Azul: não rendeu o prometido

Em agosto, a OGPar (ex-OGX) deixa de explorar o campo de Tubarão Azul. Não é mais economicamente viável. Numa palavra, o campo está esgotado.

Tubarão Azul era uma das promessas mais reluzentes de lucros para a OGX nos tempos delirantes em que Eike Batista imaginava ter uma petrolífera do tamanho de uma Petrobras.

Eike prometeu ao mercado que Tubarão Azul tinha condições de produzir 20 000 barris de petróleo por dia. Mas o campo nunca conseguiu passar dos 5 000 e atualmente produz 3 500 barris.

A partir de agosto, a empresa tem apenas um campo em produção, o de Tubarão Martelo.

Continua após a publicidade
Publicidade