Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O que une Ciro Gomes e Lula contra Bolsonaro

O avanço dos preços dos combustíveis, que castiga os brasileiros, operou o milagre da unidade de discurso entre as duas forças de esquerda

Por Robson Bonin 24 nov 2021, 10h05

Guiado pela experiência política de outros carnavais e pelo marqueteiro João Santana, Ciro Gomes fez o PT sangrar recentemente, quando bateu “na corrupção de Lula e na incompetência de Dilma Rousseff”.

Com detalhes de quem conhece as entranhas do PT, o discurso de Gomes falou até da disputa entre Lula e Dilma pela candidatura de 2014, quando o criador imaginava voltar ao Planalto, mas foi barrado por sua criatura.

O confronto retórico com Dilma, outro dia, foi duro nas redes sociais também. Com Jair Bolsonaro no Planalto, no entanto, não há distanciamento político na esquerda que dure pare sempre.

O avanço dos preços dos combustíveis na Petrobras e a forma como o governo lida com a estatal operaram o milagre de unir Ciro, Lula, Dilma e o PT.

A exemplo do que faz o PT, Ciro também denuncia o desmonte da estatal e a incompetência na gestão de refinarias como causa da crise nos combustíveis e da escalada de preços.

“Bolsonaro está fazendo um desmanche da Petrobras e entregando fatias quase de graça a estrangeiros. Deixa refinarias paradas, importa combustíveis e os preços explodem. É o maior crime já praticado contra a soberania nacional e a economia popular”, diz Ciro.

“Todas as refinarias da Petrobras estão com 30% das suas produções paralisadas. E o governo prefere comprar combustíveis dos Estados Unidos, pagando em dólar, do que fabricá-los no Brasil? Eles alegam que esse tipo de compra aumenta os lucros, mas na verdade é uma política de morte premeditada do setor de refino no país”, segue.

Continua após a publicidade

Publicidade