Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O que motivou

Não foi só o objetivo de pressionar o governo pelas indicações para o segundo escalão que levou Eduardo Cunha a manobrar para votar na terça-feira a PEC da Bengala. Cunha também jogou para a plateia – leia-se o plenário. Após a exibição do programa do PT, com críticas à aprovação do projeto da terceirização pela […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 01h27 - Publicado em 7 Maio 2015, 12h24
Cunha sente o pulso do plenário

Cunha sente o pulso do plenário

Não foi só o objetivo de pressionar o governo pelas indicações para o segundo escalão que levou Eduardo Cunha a manobrar para votar na terça-feira a PEC da Bengala. Cunha também jogou para a plateia – leia-se o plenário.

Após a exibição do programa do PT, com críticas à aprovação do projeto da terceirização pela Câmara e aos que votaram a favor da proposta, Cunha percebeu a revolta dos partidos que haviam votado com ele em relação ao PT e articulou com facilidade a aprovação da PEC.

Publicidade