Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O que levou Bolsonaro a escolher Augusto Aras para a PGR

Aras integrava o grupo adversário de Dodge na PGR; garantia de que fará uma gestão diferente da atual fechou a obra

Por Robson Bonin - Atualizado em 5 set 2019, 17h28 - Publicado em 5 set 2019, 17h03

Amigos que acompanharam a caminhada de Augusto Aras nesse longo processo de campanha para o comando da PGR avaliam que o novo chefe da procuradoria conquistou pontos importantes ao se posicionar contra a agenda sindical da turma de Raquel Dodge, sempre ávida por penduricalhos salariais.

A postura de Aras no Ministério Público, atuando para destravar grandes obras de infraestrutura e eliminar entraves em questões relacionadas ao agronegócio também ajudou.

Aras integrava o grupo adversário de Dodge na PGR. A garantia de que fará uma gestão diferente da atual fechou a obra.

Publicidade