Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O provável destino da ação por ‘currículo inventado’ contra Decotelli

Ministro que ficou menos de uma semana no MEC é alvo de processo por falsidade ideológica

Por Mariana Muniz Atualizado em 18 set 2020, 10h47 - Publicado em 18 set 2020, 10h32

Ministro mais breve de todos os tempos no Ministério da Educação, Carlos Alberto Decotelli sofreu nova derrota esta semana no episódio do currículo inventado.

A Procuradoria-Geral da República pediu ao Supremo Tribunal Federal que mande a investigação contra ele para a Justiça Federal, por entender que o crime de falsidade ideológica teria como vítima a União.

No parecer, o vice-procurador-geral, Humberto Jacques, reconhece que o ministro indicado não tem prerrogativa de foro por função e que “a falsidade noticiada ocorreu, em tese, com o intuito de exercer o cargo de ministro de estado, estado claro, portanto, o interesse da União”.

Continua após a publicidade

Publicidade