Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O inimputável Requião

Marco Aurélio Mello decidiu arquivar um inquérito contra Roberto Requião por causa de uma das sempre polêmicas declarações. O Ministério Público acusava-o de calúnia por ter afirmado, durante um debate em uma rádio paranaense em 2002, que Alvaro Dias seria beneficiário de um esquema de corrupção na prefeitura de Maringá e teria recebido doações de […]

Por Da Redação - Atualizado em 31 jul 2020, 10h58 - Publicado em 26 ago 2011, 12h32

Marco Aurélio Mello decidiu arquivar um inquérito contra Roberto Requião por causa de uma das sempre polêmicas declarações. O Ministério Público acusava-o de calúnia por ter afirmado, durante um debate em uma rádio paranaense em 2002, que Alvaro Dias seria beneficiário de um esquema de corrupção na prefeitura de Maringá e teria recebido doações de caixa dois para financiar sua campanha. Naquela eleição, Requião venceu Dias na corrida ao governo estadual.

Requião beneficiou-se de uma prerrogativa de quando era governador e da atual idade. Quando comandava o estado, a Assembleia Legislativa paranaense não autorizou o STJ a processá-lo. Em março, o hoje senador completou setenta anos, o que abreviou pela metade o prazo para a prescrição do crime. Marco Aurélio arquivou o caso por ele ter prescrito com o O.K. do Ministério Público.

Publicidade