Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O adeus da B3 ao touro de ouro, após decisão da Prefeitura de SP

Bolsa de valores diz que vai remover obra no "menor prazo possível"; colegiado entendeu que escultura é peça publicitária e vai aplicar multa

Por Laísa Dall'Agnol Atualizado em 23 nov 2021, 20h10 - Publicado em 23 nov 2021, 19h59

Em pouco mais de uma semana, o Touro de Ouro acabou virando um verdadeiro elefante na sala da B3 e vai ter que se despedir do centro de São Paulo nos próximos dias.

Após decisão desta terça da Comissão de Proteção da Paisagem Urbana, que votou pela remoção da obra, a B3 anunciou que vai retirar a estátua de 500 quilos do local instalado no “menor prazo possível, dada a necessidade de logística para a operação”.

De acordo com o colegiado da prefeitura — que debatia se a peça poderia ficar exposta de forma temporária até 15 de dezembro –, a escultura tem caráter predominantemente publicitário ou promocional, o que é vedado pela Lei Cidade Limpa.

A decisão será submetida à Subprefeitura da Sé e foi contestada, durante a reunião, por membros de associações de moradores e lojistas do centro de São Paulo, que afirmam que o touro de ouro traz impacto positivo à região.

Ao jornal Folha de S.Paulo, o autor da obra disse que a estátua foi imaginada para “atrair turistas para um centro esvaziado” da capital.

A comissão também decidiu pela aplicação de multa em razão de violação da legislação municipal. Conforme revelado pelo portal G1 na segunda-feira, a instalação da estátua de 500 quilos não foi informada ao colegiado — apesar de ter sido submetida à própria subprefeitura e ao Departamento do Patrimônio Histórico.

 

Continua após a publicidade

Publicidade