Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Nunes Marques pede vista e adia fim da guerra entre Lula e Moro no STF

Ruína judicial de Moro está nas mãos de ministro indicado por Bolsonaro

Por Robson Bonin Atualizado em 10 mar 2021, 10h28 - Publicado em 9 mar 2021, 17h00

Ministros do STF que acompanham o entrevero na Segunda Turma nesta terça não deixam de destacar um fato irônico do julgamento da suspeição de Sergio Moro.

Com o voto do ministro Gilmar Mendes a favor da ruína judicial de Moro, restam dois ministros para votar. Ricardo Lewandowski, que já tem posição conhecida sobre a conduta do ex-juiz, e Nunes Marques, o ministro mais novo do STF, indicado por Jair Bolsonaro ao cargo.

Como Lewandowski deve empatar o placar do julgamento em 2 a 2, caberá a Marques, o escolhido de Bolsonaro, o desfecho. O ministro acaba de pedir vista do caso por não ter tido tempo para analisar a matéria. Cármen Lúcia e Edson Fachin já votaram, mas a ministra deu sinais de que fará nova manifestação.

“Preciso pedir vista para analisar o conteúdo desse processo de extrema relevância e já adianto que não me causa nenhum constrangimento ouvir os votos dos demais”, diz Nunes Marques.

Continua após a publicidade
Publicidade