Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia e Mariana Muniz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Novo ministro da Cultura já pediu punição a Michel Temer

Quem te viu, quem te vê...

Por Pedro Carvalho Atualizado em 25 jul 2017, 14h25 - Publicado em 25 jul 2017, 14h20

O jornalista Sérgio Sá Leitão, novo ministro da Cultura, já teceu duras críticas a Michel Temer. Em abril do ano passado, em pleno processo de impeachment de Dilma Rousseff, Leitão fez uma postagem na internet pedindo o avanço da Lava-Jato.

“Não votei na chapa Dilma-Temer […] Não sou responsável por Dilma, por Temer ou por Eduardo Cunha. Por isso… Durmo bem à noite. Não tenho bandidos de estimação”, disse na época.

“Para que todos os partícipes e beneficiários diretos e indiretos do Petrolão sejam julgados e punidos” o jornalista desejou a continuidade das operações. “Incluindo Lula, Dilma, Temer e Cunha”, completou.

Instagram/Reprodução

Mas ainda que ele negue o voto, lá em 2010 Leitão admitiu ter votado na petista. Reiteradas vezes. Pelo menos é o que revelam seus tuítes.

Twitter/Reprodução
Twitter/Reprodução
Twitter/Reprodução

Mas não é só. O novo titular da Esplanada parece ter mudado de ideia quanto a basicamente tudo. Hoje, Leitão tomou posse defendendo o governo que ele criticou no passado. “As condições do país são adversas e estamos começando a sair da maior recessão de nossa história”, disse em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo.

“O Brasil de hoje exige que mais brasileiros sérios agarrem as rédeas do nosso destino. Nós precisamos sair logo da crise, em todas as áreas, e precisamos construir esse país que sonhamos. E isso se faz com reformas estruturais, não com a fácil omissão”, completou. 

Continua após a publicidade
Publicidade