Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

No controle político do governo, centrão já mira Casa da Moeda

Jair Bolsonaro entregou a Casa Civil a Ciro Nogueira e espera, com a distribuição de cargos e verbas, fechar alianças para a reeleição

Por Robson Bonin Atualizado em 30 jul 2021, 18h22 - Publicado em 1 ago 2021, 16h12

Com o centrão na Casa Civil, um dos primeiros lugares a sofrer intervenção política dos aliados de Ciro Nogueira será a Casa da Moeda, antigo feudo do PTB. “Será um banho de sangue”, diz um auxiliar de Guedes.

Como o Radar mostrou em junho de 2020, o governo, por meio do BNDES, torrou 2,8 milhões de reais num estudo para privatizar a estatal. Bolsonaro, no entanto, desistiu de vender a estrutura depois de se abraçar com Jefferson e o PTB.

Nogueira assumiu o posto de gerente do governo na semana passada. Tem o objetivo claro de viabilizar cargos e verbas para consolidar as alianças partidárias em torno da reeleição de Jair Bolsonaro, que até hoje está sem partido e sem palanques regionais garantidos diante do avanço de Lula nas pesquisas.

 

Continua após a publicidade
Publicidade