Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

No Cade

A entrada da chinesa Dongfeng, uma das maiores montadoras de caminhões do mundo, no Brasil vai terminar no Cade. Ao lado de investidores brasileiros em uma joint-venture, os chineses pretendiam investir 500 milhões de reais para construir sua primeira fábrica fora da China, em Pouso Alegre (MG). Os caminhões Dongfeng começariam a ser produzidos na […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 02h19 - Publicado em 15 jan 2015, 17h22
dongfeng

Caminhões da Dongfeng seguem fora das estradas brasileiras

A entrada da chinesa Dongfeng, uma das maiores montadoras de caminhões do mundo, no Brasil vai terminar no Cade. Ao lado de investidores brasileiros em uma joint-venture, os chineses pretendiam investir 500 milhões de reais para construir sua primeira fábrica fora da China, em Pouso Alegre (MG).

Os caminhões Dongfeng começariam a ser produzidos na fábrica brasileira em 2015, mas a montadora chinesa teve 45% de suas ações compradas pela Volvo no início de 2013. A gigante sueca, que concluiu o negócio nos últimos dias, é dona de 30% do mercado brasileiro de caminhões pesados e brecou as pretensões da Dongfeng no Brasil.

Os sócios brasileiros da joint-venture, que já moviam uma ação contra os chineses na Corte de Arbitragem de Londres por quebras de contrato, agora querem ir ao Cade contra a Volvo por práticas anti-concorrenciais.

Continua após a publicidade

Publicidade