Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Não é só Barros: CPI tem 47 convocados sem data marcada para depoimentos

O líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros, entrou no STF para depor na próxima quinta-feira

Por Gustavo Maia Atualizado em 5 jul 2021, 20h49 - Publicado em 6 jul 2021, 10h30

Inconformado por ter o depoimento na CPI da Pandemia adiado sem nova data definida, o deputado federal Ricardo Barros recorreu ao STF para ser ouvido nesta quinta-feira, como estava originalmente previsto.

Mas a situação do líder do governo Bolsonaro na Câmara está longe de ser uma exceção na comissão. Até o momento, os senadores já aprovaram a convocação de 47 pessoas que ainda não sabem quando terão que ir depor no Senado (veja lista abaixo).

Além delas, os membros CPI também convocaram nove governadores e a vice-governadora de Santa Catarina, Daniela Reinehr, mas o Supremo decidiu que eles não podem ser obrigados a comparecer à comissão.

Até o momento, 25 pessoas já prestaram depoimento à CPI, sendo o atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, duas vezes.

Os senadores também já decidiram ouvir novamente duas delas: o ex-ministro Eduardo Pazuello e o deputado federla Luis Miranda.

Continua após a publicidade

Nesta terça, a comissão terá o depoimento de Regina Célia Silva Oliveira, servidora do Ministério da Saúde que atuou como fiscal do contrato para a aquisição de 20 milhões de doses da vacina indiana Covaxin. A mediação da empresa brasileira Precisa Medicamentos com a fabricante Bharat Biotech, da Índia, é alvo da investigação da CPI.

Na última reunião da CPI da Pandemia, na quinta-feira passada, o líder do governo Bolsonaro no Senado, Fernando Bezerra Coelho, reclamou do adiamento do depoimento do colega governista Ricardo Barros. O senador Alessandro Vieira, que presidia o colegiado na ocasião, respondeu de pronto:

“O momento de oitiva de qualquer investigado ou testemunha é definido no critério do interesse da investigação, e não no interesse do investigado”.

Ao longo das últimas semanas, o presidente da comissão, Omar Aziz, tem alterado o cronograma de depoimentos com frequência e, às vezes, na véspera, como ocorreu na semana passada com a ida do policial militar Luiz Paulo Dominguetti, suposto representante da Davati Medical Supply.

Veja a seguir os convocados sem data definida:

  • Ricardo Barros, deputado federal
  • Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde (reconvocado)
  • Wagner Rosário, ministro da Controladoria-Geral da União
  • Luis Miranda, deputado federal
  • Nisia Trindade Lima, presidente da Fiocruz
  • Filipe Martins, assessor para assuntos internacionais do presidente Jair Bolsonaro
  • Francisco de Araújo Filho, ex-secretário de saúde do Distrito Federal
  • Gustavo Mendes Lima Santos, gerente de medicamentos e produtos biológicos da Anvisa
  • Hélio Angotti Netto, secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde
  • Robson Santos da Silva, secretário especial de Saúde Indígena do Ministério da Saúde
  • Airton Antônio Soligo, ex-assessor especial no Ministério da Saúde
  • Alex Lial Marinho, tenente-coronel que trabalhou no Ministério da Saúde
  • Marcos Marques, vulgo “Markinhos Show”, ex-marqueteiro do Ministério da Saúde na gestão Pazuello
  • Rogério Rosso, diretor de negócios internacionais da União Química
  • Fernando de Castro Marques, Presidente da União Química Farmacêutica Nacional
  • Francisco Emerson Maximiano, sócio da Precisa Medicamentos
  • Túlio Silveira, representante da Precisa Medicamentos
  • Emanuela Medrades, diretora técnica da Precisa Medicamentos
  • Arthur Weintraub, ex-assessor da Presidência da República
  • Felipe Cruz Pedri, secretário de Comunicação Institucional da Secom
  • Thais Amaral Moura, assessora especial da Secretaria de Assuntos Parlamentares da Presidência da República
  • Renato Spallicci, Presidente da Apsen Farmacêutica
  • Emanuel Catori, um dos sócios da Belcher Farmacêutica
  • Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques, auditor do TCU
  • Carolina Palhares Lima, Diretora da Diretoria de Integridade do Ministério da Saúde
  • Roberto Ferreira Dias, ex-diretor do Departamento de Logística em Saúde da Secretaria Executiva do Ministério da Saúde
  • Thiago Fernandes da Costa, servidor do Ministério da Saúde
  • Rodrigo de Lima, funcionário terceirizado lotado no Ministério da Saúde
  • Cristiano Alberto Carvalho, que se apresenta como procurador da empresa Davati Medical Supply
  • Luciano Hang, empresário bolsonarista
  • Silvio Assis, suposto lobista
  • Danilo Berndt Trento, suposto sócio oculto de Francisco Maximiano
  • Marcelo Bento Pires, ex-diretor do Ministério da Saúde
  • José Alves Filho, empresário
  • Paulo César Gomes Baraúna, diretor executivo de Negócios da White Martins
  • João Paulo Marques dos Santos, ex-scecretário-executivo da Secretaria de Saúde do Amazonas
  • Luana Araújo e Franciele Francinato (acareação)
  • Representante da empresa White Martins em Manaus
  • Representante da White Martins no Brasil
  • Representante da Jansen no Brasil
  • Desenvolvedor do aplicativo TrateCOV ou técnico responsável da empresa contratada para esse fim
  • Representante do Facebook Brasil
  • Representante do Google Brasil
  • Representante do Twitter Brasil
  • Diretor/presidente da empresa de transporte carioca Viação Redentor
  • Marcelo Oliveira de Souza, médico da Viação Redentor
Continua após a publicidade
Publicidade