Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Na mira do impeachment, Witzel deve seguir o exemplo do Amazonas

Assembleia do Rio deve abrir pedido de impedimento contra governador

Por Mariana Muniz - 10 jun 2020, 15h48

Com o impeachment dado como certo na Assembleia do Rio, o governador Wilson Witzel deve mirar-se no exemplo de outro Wilson – o Lima, seu colega de partido e governador do Amazonas – e trabalhar para que o caso seja levado ao Judiciário.

O processo de impedimento de Wilson Lima foi aberto pelo Assembleia Legislativa do Amazonas, deputado Josué Neto, no dia 30 de abril. Ele e o vice são acusados de mau uso de recursos públicos para conter o avanço do coronavírus.

Mas a análise das acusações foi paralisada pela Justiça no último dia 13 de maio, por meio de uma medida cautelar.
Provocado por um deputado aliado de Lima, o Tribunal de Justiça considerou ineficazes os dispositivos contidos no regimento do Legislativo amazonense usados para embasar a denúncia de crime de responsabilidade. E o governador segue no cargo.

Assim como Witzel, o governador do Amazonas, estreante nas urnas, usou o discurso da nova política para se eleger em 2018. Aparentemente, ambos confundiram “nova política” com “zero política”. Agora, correm atrás dos deputados para melhorar a conta.

Publicidade