Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Na carona do vírus, empresários do transporte temem prejuízos

Entidade de empresas do transporte rodoviário diz que o setor irá quebrar, sem apoio do governo

Por Manoel Schlindwein Atualizado em 17 mar 2020, 16h21 - Publicado em 17 mar 2020, 14h33

A ausência de medidas para o transporte rodoviário deve deixar milhões de brasileiros sem alternativa de transporte. Quem faz o alerta é a Associação Nacional das Empresas de Transporte Rodoviário de Passageiros (Anatrip).

Sem apoio do Planalto e de governos estaduais, o “serviço público de transporte coletivo rodoviário de passageiros poderá entrar em colapso, em um prazo de até 90 dias, devido à queda estimada de 60% da demanda de passageiros” em virtude do coronavírus.

“O colapso das transportadoras afetará 80 milhões de usuários de baixa renda que não têm alternativa para se locomoverem. Diferentemente da atenção dada pelo governo às companhias de transporte aéreo”, diz a entidade.

Para a preservação das empresas e garantia da continuidade dos serviços, a associação propõe a suspensão por seis meses da cobrança do PIS, COFINS e da CIDE incidente no óleo diesel, no âmbito federal e do ICMS, tanto o que incide sobre o óleo diesel como o que é cobrado dos passageiros, no âmbito estadual e, também, a desoneração da folha de pagamento, a fim de preservar empregos. Seria algo na mesma linha do que é feito para o setor aéreo.

Continua após a publicidade
Publicidade