Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Mourão fez caras e bocas, mas entrou mudo e saiu calado

Vice-presidente foi um observador privilegiado da reunião, sentado ao lado do presidente

Por Robson Bonin, Mariana Muniz, Evandro Éboli, Manoel Schlindwein - Atualizado em 30 jul 2020, 18h55 - Publicado em 22 Maio 2020, 19h29

O privilegiado assento do vice Hamilton Mourão na reunião, ao lado de Jair Bolsonaro, o transformou num protagonista no encontro.

Menos pelo que falou, quase nada. Mas mais pelas suas caras e bocas de reação ao histrionismo do presidente, seus rompantes, palavrões e xingamentos.

Monossilábico, Mourão fez 9 curtíssimas inserções no encontro. Como se antevisse que aquela reunião ia dar o que falar.

Logo no início, quando o ministro Braga Netto (Casa Civil) pedia silêncio aos colegas, Mourão não se conteve.

“Bota ordem nesse troço aí, dá logo um esporro”.

Brincou com a ministra na celeuma da liberação do jogo.

“Damares para jogar uma roleta”.

No mais, intercedia para um correção ou outra, como citação da expressão “homeschooling”.

Continua após a publicidade
Publicidade