Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Moro protesta contra decisão do Tribunal Regional Federal

Justiça determinou a soltura de ex-gerente da Petrobras

Por Ernesto Neves Atualizado em 30 out 2017, 13h32 - Publicado em 30 out 2017, 12h40

O juiz Sergio Moro protestou contra o habeas corpus que encerrou a prisão preventiva do ex-gerente da Petrobras Luis Carlos Moreira da Silva.

O executivo será solto nesta segunda (30), após decisão do Tribunal Regional Federal, em Porto Alegre. Ele já foi condenado pelo magistrado, e respondia em liberdade até ser detido na 46ª fase da Lava Jato, na última semana.

Segundo o juiz, manter Luis Carlos Moreira da Silva em liberdade “significa, na prática, premiar o comportamento de destruição de provas e colocar em risco a recuperação do produto do crime e aplicação da lei penal”.

Moro diz nos autos Moreira da Silva apagou seletivamente de sua caixa postal mensagens incriminatórias que teria trocado com outros executivos da Petrobras.

E que a prisão cautelar só não foi decretada antes porque o MPF a requereu somente nas alegações finais. Também afirma que essa prova produzida durante a instrução da ação penal foi essencial para os fundamentos da prisão preventiva.

 

Continua após a publicidade

Publicidade