Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Ministério da Damares visitará local onde criança indígena foi morta no MS

Diligência incluirá representante do Ministério da Justiça e parlamentares

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 24 ago 2021, 13h26 - Publicado em 24 ago 2021, 13h25

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, comandado pela ministra Damares Alves, participará na próxima quinta-feira de uma diligência com autoridades à cidade de Dourados, no Mato Grosso do Sul, onde uma menina indígena de 11 anos de idade foi brutalmente assassinada no início do mês.   

Raíssa Cabreira, da etnia Guarani Kaiowá, sofreu estupro coletivo e teve seu corpo atirado de uma pedreira de 20 metros próxima a aldeia de Bororó, onde ela vivia com a família. Dois homens e três menores foram presos por suspeita de envolvimento no crime, sendo um deles o tio da menina.    

Além do ministério dos Direitos Humanos, a diligência a Dourados contará com técnicos do Ministério da Justiça, representantes da Associação dos Magistrados do Brasil e de deputados federais identificados com as causas indígenas e das mulheres. 

A ideia da diligência foi da deputada federal Rose Modesto (PSDB-MS), que acionou a Secretaria da Mulher da Câmara pedindo um plano de combate à violência contra os povos indígenas. 

Continua após a publicidade
Publicidade