Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Ministério apura caso de nepotismo em estatal comandada por militar

Radar revelou que o presidente da INB nomeou dois casais para cargos de confiança na empresa

Por Evandro Éboli - 13 set 2019, 20h39

O Ministério de Minas e Energia informou que está apurando ocorrência de nepotismo na Indústria Nucleares do Brasil (INB), sua estatal que cuida da produção de urânio.

Nesta sexta-feira, 13, Radar revelou que o presidente da INB, o capitão de Mar e Guerra Carlos Freire, nomeou dois casais para cargos de confiança na empresa. Três deles como assessores especiais da própria presidência do órgão.

“Estamos aprofundando nossa pesquisa sobre o tema”, informou o ministério à coluna.

A nomeação dos quatro, segundo especialistas, infringe o princípio da moralidade e impessoalidade, além de uma súmula do STF e um decreto de 2010.

Publicidade

Mas a empresa entende que não e defende seus indicados como profissionais experientes.

Publicidade