Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Mercado de luxo tem demanda reprimida por roupas, aponta pesquisa

Pessoas com renda média de R$ 40 mil dizem que, quando a pandemia passar, pretendem ir às compras de peças de vestuário

Por Manoel Schlindwein Atualizado em 5 jun 2020, 18h24 - Publicado em 8 jun 2020, 12h32

Qual é a categoria de produtos que você mais pretende comprar depois que a quarentena acabar? O Instituto QualiBest fez essa pergunta para 400 mulheres com renda média de R$ 40 mil, moradoras de São Paulo – e a resposta foi vestuário.

Quatro em cada dez delas (44%) afirmam que pretendem comprar roupas depois da pandemia. Ou seja, será o setor mais demandado quando as regras de isolamento social forem afrouxadas. As roupas estão muito à frente da segunda categoria de produtos, por exemplo: os sapatos (12%). Em seguida estão as maquiagens (7%). A pesquisa foi feita em parceria com as plataformas Back IN B, consultoria de negócios de moda, e ArtSoul, marketplace de arte contemporânea.

Para Daniela Malouf, diretora geral do QualiBest, isso mostra não apenas a demanda reprimida atual, mas a necessidade de as marcas estarem prontas para esse cenário. “O mercado de luxo como um todo tem registrado um movimento menor em meio à pandemia, porque as pessoas estão esperando para ver o que vai acontecer no futuro próximo. A questão é que as lojas podem ir tentando encontrar estratégias para continuarem suas operações agora, mas principalmente – e este é o grande achado da pesquisa – devem se preparar para uma demanda muito grande depois”, diz.

Publicidade