Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Gabriel Mascarenhas (interino) Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Meirelles diz o que não pensa e silencia sobre o que acredita no Paraná

Agrados ao detrator e orientação para não elogiar privatizações e reformas

Por Gabriel Mascarenhas 27 ago 2018, 17h56

Henrique Meirelles foi submetido a dois exercícios de alta dificuldade durante uma visita ao interior do Paraná, neste fim de semana.

Como primeiro desafio, ele teve de elogiar quem o difama, o senador Roberto Requião, que sequer deu as caras no evento.

O ex-ministro conseguiu tapar o nariz e dizer que se sente honrado por tê-lo como correligionário.

Proferir o que não se pensa faz parte da cena política eleitoral brasileira desde sempre.

Mais difícil, porém, é silenciar sobre o que se acredita. E Meirelles passou no teste.

Ele deixou Cascavel sem pregar em favor de privatizações e reformas, como foi orientado a fazer por políticos da região para não perder votos por lá.

Continua após a publicidade
Publicidade