Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Medida Provisória vence na quinta e governo Temer pode voltar a ter 31 ministérios

Mal assumiu e o presidente Michel Temer pode enfrentar uma situação no mínimo curiosa. A reforma ministerial que propôs assim que assumiu interinamente pode subir no telhado. Ainda que não seja muito provável, é possível. A Medida Provisória nº 726 de 2016, que estabeleceu o enxugamento das pastas, tem que ser colocada em votação no Senado na […]

Por Da Redação - Atualizado em 8 fev 2017, 14h31 - Publicado em 5 set 2016, 17h15
Pepino na mão

Situação esdrúxula

Mal assumiu e o presidente Michel Temer pode enfrentar uma situação no mínimo curiosa. A reforma ministerial que propôs assim que assumiu interinamente pode subir no telhado. Ainda que não seja muito provável, é possível.

A Medida Provisória nº 726 de 2016, que estabeleceu o enxugamento das pastas, tem que ser colocada em votação no Senado na quinta-feira (8) senão ela perde o efeito de validade. Não cabe mais prorrogação.

O problema é que na política tudo pode acontecer. Mesmo que Renan tenha marcado uma sessão para esse dia, a matéria pode não ser apreciada ou, mesmo que seja, pode acabar sendo rejeitada. A estrutura de administração federal voltaria a ser a dos 31 ministérios.

Publicidade

Alguns senadores teriam interesse na volta da estrutura antiga. Não é novidade para ninguém que há partidos insatisfeitos com a falta de cargos no governo. Com a estrutura dilmista ficaria mais fácil conversar sobre ocupação da base nos cargos federais.

Publicidade