Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Marinho quer usar fundos regionais para acelerar concessões no país

Ministro do Desenvolvimento Regional vai tratar como prioridade o investimento em projetos para atrair capital privado a setores como o de saneamento

Por Robson Bonin Atualizado em 8 jan 2021, 19h09 - Publicado em 11 jan 2021, 09h31

Uma das prioridades para esse inicio de ano na pasta de Rogério Marinho é a reformulação dos fundos de desenvolvimento Regional como o Fundo de Desenvolvimento da Amazônia, o Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste e o Fundo de Desenvolvimento do Nordeste.

A ideia do ministro do Desenvolvimento Regional é que eles passem a funcionar como “Fábricas de Projetos” para alavancar a modelagem de concessões públicas. Como se sabe, a baixa qualidade e a falta de projetos nessa área acabam limitando a entrada de dinheiro privado em setores estratégico da economia como o saneamento, por exemplo.

A estimativa do Ministério do Desenvolvimento Regional é de que o investimento de 1 bilhão de reais em projetos, por exemplo, abra caminho para a geração de até 100 bilhões de reais em aportes.

Para 2021, a estimativa é de que esses fundos tenham no total 1,45 bilhão de reais para tocar projetos.

Atualmente, quem cumpre esse papel de estruturação de projetos é o BNDES e o Fundo Estruturador de Projetos gerido pela Caixa. A ideia de Marinho é acelerar esse trabalho.

Continua após a publicidade
Publicidade