Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Maomé na rede

O vídeo que provocou protestos em países árabes no ano passado — e chegou a ser usado como justificativa para a negligência na segurança que levou à morte de um embaixador e três diplomatas americanos na Líbia – poderá voltar a ser visto via YouTube no Brasil. O Google derrubou a liminar dada pela Justiça […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 06h59 - Publicado em 26 jan 2013, 08h20

O vídeo de volta ao ar na internet

O vídeo que provocou protestos em países árabes no ano passado — e chegou a ser usado como justificativa para a negligência na segurança que levou à morte de um embaixador e três diplomatas americanos na Líbia – poderá voltar a ser visto via YouTube no Brasil. O Google derrubou a liminar dada pela Justiça de São Paulo que proibiu a exibição de Inocência dos Muçulmanos, filmeco amador que satiriza Maomé e o islamismo.

O processo foi movido pela União Nacional das E ntidades Islâmicas. O juiz da 25ª Vara Cível de São Paulo, Paulo César Batista dos Santos, concordou que o vídeo é de “gosto duvidoso”, mas defendeu a “livre manifestação do pensamento artístico”.

Publicidade