Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Mais uma etapa para o julgamento do caso Marielle no STJ

Recurso da Defensoria Pública do Rio pode atrasar ainda mais análise da federalização

Por Mariana Muniz - Atualizado em 22 nov 2019, 15h25 - Publicado em 20 nov 2019, 07h10

A insistência da Defensoria Pública do Rio para ter vista e participar do processo deve atrasar o julgamento sobre a federalização ou não do caso Marielle Franco.

O processo está com o MPF para apresentação de alegações finais e ainda essa semana seguirá para o MPRJ para o mesmo propósito – que esses órgãos façam as últimas considerações que poderão orientar a posição da relatora, ministra Laurita Vaz.

A expectativa é de que na primeira semana de dezembro o processo esteja concluso para elaboração do voto.

Acontece que a Defensoria Pública do Rio recorreu da decisão da ministra que negou à viúva de Anderson Gomes e aos pais da vereadora participação e vista no processo, por não haver previsão legal para que as partes integrem a ação. E esse recurso (um agravo) terá de ser analisado no colegiado, a Terceira Seção, antes do julgamento da federalização.

Publicidade

Como mostrou o Radar, a Seção a se reúne apenas mais duas vezes este ano – dia 27/11 e 11/12.

 

Publicidade