Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Maia anula moção de repúdio por presidente argentino ter defendido Lula

Iniciativa foi do PSL e aprovada na comissão presidida por Eduardo Bolsonaro, que comemorou nas suas redes

Por Evandro Éboli - Atualizado em 11 nov 2019, 20h07 - Publicado em 11 nov 2019, 19h01

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, decidiu anular uma moção de repúdio contra o presidente eleito da Argentino, Alberto Fernández, aprovado semana passada na Comissão de Relações Exteriores, que é presidida por Eduardo Bolsonaro.

Os bolsonaristas aprovaram na comissão moção de repúdio pelo fato de Fernández ter defendido a soltura de Lula, que virou uma de suas bandeiras na campanha. Entenderam se tratar de “ativismo político em questões internas do Brasil”.

Maia ficou irritado e inconformado com isso e, ao responder a uma questão de ordem do líder do PDT, André Figueiredo, anulou a moção. O presidente da Câmara se ateve a uma questão de regimento. A moção foi aprovada por maioria simbólica, sem conferir votos individuais. E precisaria de maioria ampla e e contabilizada. A maioria absoluta.

Maia diz que há “sensibilidade diplomática” nessas questões e é preciso reflexão antes.

Publicidade

“Esse entendimento tem razão de ser diante da acentuada importância e sensibilidade diplomática de questões relativas a atos ou acontecimentos internacionais, demandando-se da Câmara dos Deputados maior reflexão e análise antes de manifestação oficial, motivo pelo qual se exige que o plenário aprecie a matéria, a requerimento da maioria absoluta do órgão especializado (Comissão de Relações Exteriores)”, escreveu Maia em sua decisão.

Publicidade