Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Lupi e Túlio Gadêlha vão ao STF contra exploração de petróleo em Noronha

Leilões dos campos de exploração serão realizados pela Agência Nacional de Petróleo sem nenhuma análise dos impactos ambientais, dizem os pedetistas

Por Robson Bonin 12 abr 2021, 17h27

Para evitar um possível desastre ambiental na Ilha de Fernando de Noronha, o deputado federal Túlio Gadêlha e o presidente do PDT, Carlos Lupi, entraram com pedido de medida liminar no STF para suspender o leilão de blocos de petróleo desta região e também da bacia de Pelotas, situada no extremo sul do país.

A dupla sustenta que os leilões serão realizados pela Agência Nacional de Petróleo sem nenhuma análise dos gravíssimos impactos ambientais nos locais. As áreas ofertadas pela 17ª rodada de concessão inclui, além da bacia sedimentar marítima de Potiguar, em Pernambuco, a de Pelotas, já citada acima, a do Pará-Maranhão, Campos e Santos. Localizada a 100 quilômetros da costa pernambucana, a exploração à bacia de Potiguar atinge o Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha e a Reserva Biológica Atol das Rocas – dois patrimônios naturais e históricos dos brasileiros.

“O risco de vazamento em grandes proporções pode prejudicar atividades econômicas como turismo e a pesca, bem como causar um desequilíbrio ambiental imensurável. Em 2019 tivemos o maior desastre ambiental nas águas marinhas brasileiras, gerando prejuízos imensuráveis para o meio-ambiente, economia e turismo. Não podemos permitir que isto aconteça novamente”, diz o deputado. “Em razão do alto grau de lesividade ao meio ambiente, é necessário que todos os atos preliminares à efetivação do leilão sejam suspensos com urgência”. complementa.

Publicidade