Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Gabriel Mascarenhas (interino) Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Lula defende que PT não desista de ter candidato em 2022

Petista elogiou Haddad e disse que quer trabalhar de 'cabo eleitoral' nas eleições contra Bolsonaro

Por Mariana Muniz Atualizado em 4 set 2020, 13h40 - Publicado em 4 set 2020, 13h21

O ex-presidente Lula parece ainda não estar tão disposto a trabalhar pela sonhada “frente ampla da esquerda” para as eleições presidenciais de 2022 — e disse que o PT “não pode pagar o preço histórico pela sua grandeza” para defender que o partido tenha uma candidatura própria no pleito futuro.

“O Flávio Dino está qualificado para ser candidato, o Ciro Gomes está, mas eu não posso é dizer que meus governadores não estão”, declarou o petista em uma live promovida pela revista Forum nesta sexta-feira, após elogiar os nomes de Fernando Haddad e de governadores como Camilo Santana e Rui Costa.

O ex-presidente afirmou que “Haddad é um grande candidato para disputar as eleições” e disse que em 2022 “gostaria de trabalhar como cabo eleitoral pata outro companheiro”, sem no entanto descartar a possibilidade de que ele próprio saia candidato e dizer que adoraria “fazer alguns debates com o Bolsonaro”.

Lula também disse achar que o momento para um impeachment do presidente passou e que Rodrigo Maia perdeu o momento de pautar o processo. “Eu não sou daqueles que acha que Bolsonaro vai cair, o impeachment não vai acontecer, já passou da hora e hoje o Bolsonaro teve tempo de reconstruir a maioria no Congresso, mas eu não vejo a possibilidade de o Brasil melhorar”.

ASSINE VEJA

Os riscos do auxílio emergencial Na edição da semana: a importância das reformas para a saúde da economia. E mais: os segredos da advogada que conviveu com Queiroz
Clique e Assine
Continua após a publicidade
Publicidade