Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Luiza Brunet registra ocorrência sobre ataques nas redes sociais

Suspeita é que alguém está oferecendo dinheiro para denegrir sua honra

Por Mauricio Lima Atualizado em 30 jul 2020, 20h45 - Publicado em 16 set 2017, 16h02

Em companhia de seu advogado, Luiza Brunet registrou um boletim de ocorrência pedindo investigação sobre os ataques que vem sofrendo nas redes sociais. Alguns blogs vêm publicando fotos de Luiza e sua filha Yasmin sem roupa e fazendo comentários maldosos. As fotos foram tiradas há dez anos para a realização de um livro. De acordo com Luiza, esses ataques estão sendo orquestrados para macular sua imagem no momento em que ela discute na Justiça se teve ou não uma união estável com o empresário Lirio Parisotto. Ainda segundo Luiza, esses blogs estão sendo pagos para executar o serviço sujo. Na semana passada, houve a primeira audiência sobre o caso. Não houve conciliação.

Veja abaixo um relato em primeira pessoa da atriz:

“Há dez anos aproximadamente posei para o livro do fotógrafo Terry Richardson, chamado Rio de Janeiro Cidade Maravilhosa. Outras personalidades também fotografaram para o mesmo livro. Não me envergonho, nem me arrependo.
Agora, em razão de denúncia que fiz contra meu ex-companheiro, passei a ser vítima de ataques baixos nas mídias sociais.
Ataques que visam atacar minha imagem e honra, tentando diminuir a defesa que faço dos direitos das mulheres, em especial no campo da violência doméstica.
Não é coincidência que esses ataques tenham se intensificados na semana em que aconteceu a audiência de conciliação na ação que discute a união estável que mantive. Nem é coincidência que eu seja o único alvo desses ataques, apesar de outras pessoas terem fotografado para o mesmo livro.
Decidi dar queixa quando descobri que alguém está procurando internautas oferecendo dinheiro para que eles repliquem essa história.
Hoje pela manhã fui até uma delegacia e formalizei a queixa.
Respeito o direito à livre manifestação e pensamento. Mas tenho o direito e o dever de defender minha imagem e honra.
Já nessa semana que se inicia tenho audiência em processo que trata de um ataque feito por um “hater”.
Todas as pessoas que são vítimas desse tipo de ataque devem denunciar, para que a polícia identifique os agressores.”

Publicidade