Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Livro-bomba de Eduardo Cunha fica pronto — quem deve se preocupar

"Tchau Querida, O Diário do Impeachment" terá 740 páginas que prometem reabrir muitas feridas de 2016

Por Robson Bonin Atualizado em 8 jan 2021, 18h14 - Publicado em 8 jan 2021, 06h22

Eduardo Cunha, o mais ruidoso dos personagens que comandaram a Câmara, acaba de concluir seu “livro-bomba” sobre a história não contada da queda de Dilma Rousseff.

Tchau Querida, O Diário do Impeachment terá 740 páginas que prometem reabrir muitas feridas de 2016.

Além de narrar o avanço do impeachment de Dilma com reconstituição das articulações dia a dia, Cunha vai revelar detalhes aterradores dos conchavos que marcaram a queda da petista.

Cunha fala da atuação dos petistas no período, de Sergio Moro e de Rodrigo Janot, mas dois personagens são especialmente “dissecados”. O primeiro é Michel Temer.

Cunha conta em detalhes como o vice de Dilma atuou ativamente para tomar o lugar da petista. Temer é pintado como o grande conspirador, para delírio do petismo.

VEJA RECOMENDA | Conheça a lista dos livros mais vendidos da revista e nossas indicações especiais para você.

Continua após a publicidade
Publicidade