Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Lava-Jato baiana: propina do PT foi transportada até em meias

Radar revelou nesta terça o surgimento de três novos delatores nas investigações contra desvios na Petrobras

Por Robson Bonin - Atualizado em 14 jan 2020, 12h34 - Publicado em 14 jan 2020, 12h33

Depois de o Radar revelar nesta manhã a homologação dos acordos do trio de delatores baianos, o repórter Márcio Falcão publicou trechos das declarações sobre os desvios milionários de verbas da construção da sede da Petrobras em Salvador, a Torre Pituba.

“Os pagamentos do esquema envolvendo a suposta fraude para as obras da Torre Pituba seguiram o roteiro utilizado para operacionalizar outras vantagens indevidas, com repasses em hotel, uso de codinome e transporte de dinheiro até nas meias”, diz O Antagonista.

A Lava-Jato anexou às investigações nesta semana mais de 50 anexos acompanhados de documentos sobre a roubalheira nas obras da sede da Petrobras em Salvador.

Publicidade