Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Kajuru explica ao STF por que chamou adversário de ‘bandido’

Senador é alvo de queixa-crime apresentada por Alexandre Baldy,secretário de Transportes de São Paulo

Por Mariana Muniz 26 nov 2019, 15h40

O senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO), por meio da advocacia do Senado, afirmou ao STF que as postagens nas redes sociais mirando o secretário de Transportes do governo de São Paulo, Alexandre Baldy – seu rival político em Goiás – tiveram o objetivo de “criticar”, não de “difamar” ou “injuriar”.

Na semana passada, o Radar mostrou que o ministro Celso de Mello deu cinco dias para que Kajuru se manifestasse sobre a queixa-crime apresentada por Baldy, autor de outras três interpelações contra ele.

“Os ocupantes de funções públicas (como o agravante) estão sujeitos a críticas públicas, mesmo ácidas, o que é natural, ainda mais se provenientes de antagonismos políticos”, argumentam os advogados do Senado, que representam Kajuru.

Na manifestação, dizem é preciso entender que o senador, “como profissional da área de comunicação”, “mantém seu estilo próprio de fomentar o debate político e público e dele participar”. E afirmam que “gerar controvérsias, polêmicas e, eventualmente, inclusive criticar os interlocutores” fazem parte da atividade parlamentar.

Nas declarações reproduzidas por Baldy na ação penal, Kajuru se refere ao rival político como “bandido”, “malandro goiano” e “rei do toma lá dá cá” – entre outras expressões.

Continua após a publicidade
Publicidade