Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Justiça nega prisão domiciliar para secretário de Cabral

Além de Hudson Braga, também foram negados os pedidos de Luiz Paulo Reis, José Orlando Rabelo e Wagner Jordão Garcia

Por Ernesto Neves Atualizado em 25 jan 2017, 12h12 - Publicado em 25 jan 2017, 12h00

A Justiça Federal negou o pedido de substituição de prisão preventiva por domiciliar do ex-secretário de Obras do Rio Hudson Braga. Ele foi preso em novembro pela Operação Calicute, acusado de cobrança de propinas em obras do governo fluminense.

A decisão da juíza Débora Valle de Brito, da 7ª Vara Federal Criminal, inclui negativa para o mesmo pedido de prisão domiciliar feito por Wagner Jordão Garcia. Ele é apontado como operador do esquema de corrupção montado pelo ex-governador  Sérgio Cabral.

Ambos alegavam que o sistema prisional brasileiro é inseguro, e estão sob ameaça de integridade física.

A juíza negou ainda a revogação da prisão preventiva de Luiz Paulo Reis, acusado de ser “testa de ferro” de Hudson Braga, e de José Orlando Rabelo, ex-assessor de Jorge Picciani, presidente da Assembleia Legislativa do Rio.

Continua após a publicidade
Publicidade