Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Justiça Federal reforça seu sistema de segurança da informação

Contratação ocorre em um momento em que os órgãos do Judiciário e do Executivo buscam soluções para impedir ataques hackers

Por Hugo Marques Atualizado em 1 dez 2020, 16h51 - Publicado em 2 dez 2020, 09h29

Depois de uma série de ataques hackers a tribunais e órgãos públicos, o Conselho da Justiça Federal vai investir em soluções de segurança da informação, contemplando fornecimento de equipamentos de licenciamento de software e outros serviços.

A lista inclui soluções de gerenciamento unificado de ameaças, solução para Firewall para aplicações WEB, proteção de ambiente de data center virtual, proteção automatizada de imagens de containers de pipeline e suporte técnico.

A despesa prevista com a execução do novo contrato da Justiça Federal está orçada em 6,2 milhões de reais. Os objetivos estratégicos da nova contratação são os de assegurar a efetividade de tecnologia da informação para a Justiça Federal, aperfeiçoar a governança em TI e assegurar a atuação sistêmica dos sistemas.

A contratação ocorre em um momento em que os órgãos do Judiciário tentam reforçar suas áreas de tecnologia da informação. Recentemente, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) sofreu ataque hacker que expôs toda a precariedade de seu sistema de informação.

“Na busca de atendimento ao macrodesafio de melhoria da infraestrutura e governança de Tecnologia de Informação, o Conselho da Justiça Federal (CJF) contratou uma solução de infraestrutura computacional hiperconvergente, com o objetivo de ser a “nuvem privada da Justiça Federal”, identificada como NUJUFE”, diz o edital. “É de fundamental importância a adoção de mecanismos, processos e boas práticas de segurança da informação para a proteção dos diversos serviços e sistemas críticos da Justiça Federal”.

Continua após a publicidade
Publicidade