Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Juiz exige fiança de R$ 8 milhões para soltar suposto operador de Richa

Jorge Atherino foi preso em setembro de 2018

Por Ernesto Neves Atualizado em 14 jan 2019, 18h43 - Publicado em 14 jan 2019, 18h01

O juiz Paulo Sergio Ribeiro, da 23ª Vara Federal Criminal de Curitiba, estabeleceu uma fiança de R$ 8 milhões para soltar o empresário Jorge Theodocio Atherino, apontado como operador do ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB).

Atherino foi preso em setembro de 2018 na Operação Piloto, desdobramento da Lava-Jato que investiga o pagamento de propina a Richa em troca de favorecimento à Odebrecht na licitação das obras duplicação da rodovia PR-323.

Ele foi beneficiado por um habeas corpus concedido pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, no último sábado (12).

Caso pague o montante, sua prisão preventiva será substituída por medidas cautelares.

“Diante desses elementos, em especial o alto valor relacionado ao fato criminoso que foi objeto de denúncia, 4 milhões de reais, e a enorme movimentação financeira suspeita que está sendo investigada, superior a 500 milhões de reais, relacionada a Jorge Theodicio Atherino e pessoas a ele vinculadas (…) estabeleço a necessidade de pagamento de fiança, em espécie, no valor de R$ 8 milhões de reais”, escreveu o juiz.

Continua após a publicidade
Publicidade