Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Itamaraty festeja novo governo em Israel e prega aproximação

Coalizão representada pelo novo primeiro-ministro Naftali Bennett derrubou Benjamin Netanyahu, aliado de primeira hora de Bolsonaro

Por Gustavo Maia 14 jun 2021, 14h27

O Itamaraty divulgou há pouco uma nota festejando o novo governo de Israel, que tirou do poder após 12 anos o agora ex-primeiro-ministro Benjamin Netanyahu — aliado de primeira hora do presidente Jair Bolsonaro.

Uma coalização que reúne partidos de diferentes campos ideológicos obteve maioria apertada no Parlamento israelense neste domingo, e será representada pelo milionário ultraconservador de direita Naftali Bennet. Em dois anos, se o governo durar até lá, ele deverá ceder o posto a Yair Lapid, líder de um partido de centro.

“O governo brasileiro saúda o novo governo israelense, que tomou posse na tarde de domingo, 13 de junho, e deseja sucesso ao Primeiro Ministro Naftali Bennett na condução de seu mandato. Felicita, igualmente, o Primeiro Ministro alterno e Ministro das Relações Exteriores, Yair Lapid, pelo êxito na formação do governo recém-empossado”, diz o comunicado.

O texto afirma ainda, que desde o início do governo Bolsonaro, as relações com Israel foram “alçadas a novo patamar de prioridade”.

“Esta aproximação, sem precedentes, estabeleceu as bases para iniciativas estratégicas e ações de longo prazo que têm resultado em parcerias em áreas como ciência e tecnologia, saúde, defesa, segurança pública, entre outras. Do mesmo modo, a coordenação mais estreita entre os dois países nos foros multilaterais assegura posições equilibradas no tratamento de temas de maior sensibilidade para a região”, destacou o Itamaraty.

O governo brasileiro também expressou “confiança no contínuo fortalecimento dos laços de amizade que unem Brasil e Israel e continuará trabalhando com o novo governo em favor das relações bilaterais, fundamentadas em vínculos históricos, em benefício dos interesses comuns e do desenvolvimento mútuo”.

Continua após a publicidade
Publicidade