Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia e Mariana Muniz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Investigado por interferência na PF, Bolsonaro vai a evento na instituição

Presidente comparece a abertura do curso da academia de polícia, cuja realização foi determinada por ele  

Por Evandro Éboli Atualizado em 11 ago 2020, 11h21 - Publicado em 11 ago 2020, 11h10

Jair Bolsonaro comparece nesta terça na solenidade de abertura dos cursos de formação da Polícia Federal, na Academia Nacional de Polícia (ANP).

Após pressão de Bolsonaro, a PF retoma esse curso, suspenso por conta da epidemia, que juntará 500 concursados para os cargos de agentes, delegados, papiloscopistas e escrivães. A duração é de quatro meses.

O presidente é investigado por suposta interferência na Polícia Federal, segundo denúncia de Sergio Moro, que fez essa acusação ao deixar o Ministério da Justiça. O inquérito foi aberto pelo STF.

Este será o primeiro evento na PF com a presença de Bolsonaro após a rumorosa saída de Moro.

Quando começou a pandemia, uma publicação no Diário Oficial informava que a suspensão permaneceria enquanto perdurasse o estado de emergência de saúde pública. Em 19 de maio, após a troca no comando  da Polícia Federal, já com Rolando Alexandre na direção-geral, Bolsonaro disse, que pediu a volta do curso ao dirigente da instituição.

“Eu conversei com o diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Alexandre, na semana passada, que me falou que o concurso estava suspenso, com 500 pessoas prontas para serem matriculadas e começarem a fa faze a Academia da PF. E pedi para ele agilizar e abrir a Academia da Polícia Federal, pois, em poucos meses, esses jovens estarão na rua para nos ajudar”, disse Bolsonaro à época.

Continua após a publicidade
Publicidade