Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Membro de CPI vai ao MPF por indiciamento de Eduardo Paes

Por corrupção nos transportes

Por Ernesto Neves Atualizado em 5 abr 2018, 19h48 - Publicado em 5 abr 2018, 18h01

O vereador Tarcísio Motta (PSol-RJ), candidato ao governo do estado,  vai entregar ao Ministério Público Federal um relatório em que pede o indiciamento do ex-prefeito Eduardo Paes por corrupção nos transportes do Rio.

Além disso, sugere também a quebra do sigilo bancário, telefônico e telemático de Paes.

Evidentemente, a atitude de Tarcísio também tem um movimento político. Eduardo Paes hoje é um dos nomes mais fortes ao governo do estado.

O documento tem 351 páginas e é um relatório alternativo feito por Motta, membro da CPI dos Transportes. Na versão oficial, ninguém foi indiciado.

Ele se baseia, principalmente, em depoimentos do ex-secretário municipal de Transportes Alexandre Sansão.

“A prefeitura comandada pelo ex-prefeito Eduardo da Costa Paes cumpriu um papel decisivo para a organização da máfia que comanda o sistema municipal de ônibus do Rio de Janeiro”, diz um trecho.

Continua após a publicidade

O texto prossegue com acusações ao ex-prefeito.

“Conforme comprovado por essa CPI, o ex-prefeito Eduardo da Costa Paes foi responsável pela escolha política de não licitar o Sistema de Bilhetagem Eletrônica (SBE)”. Esse procedimento, diz o relatório, abriu portas para a corrupção.

Ainda de acordo com o documento, “o ex-prefeito Eduardo da Costa Paes cumpriu no município um papel equivalente à Sérgio Cabral no esquema estadual, é a relação íntima que o mesmo possuía com empresários do setor, conforme ficou demonstrada através da análise feita pela Polícia Federal dos celulares apreendidos em posse do empresário Jacob Barata Filho, no dia 3 de julho de 2017″.

 

 

  •  

    Continua após a publicidade
    Publicidade