Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Inquérito de Cunha no STF traz ex-ministro de volta aos holofotes

Neri Geller foi ministro da Agricultura durante o governo Dilma

Por Pedro Carvalho - Atualizado em 9 dez 2019, 10h03 - Publicado em 9 dez 2019, 09h18

O STF abriu abriu inquérito para apurar compra de votos para a eleição de Eduardo Cunha à eleição da Câmara. A decisão foi motivada pelo acordo de delação premiada do ex-executivo do grupo J&F Ricardo Saud. Segundo a PGR, teria sido liberado o pagamento de 30 milhões de reais para que Saud pudesse “persuadir os congressistas” de que a eleição de Cunha seria “a melhor opção para fazer contraponto à então presidente Dilma Rousseff”.

Uma das linhas de investigação trabalha com a possibilidade de que o Ministério da Agricultura esteja diretamente ligado ao esquema. Uma portaria assinada pelo então ministro Neri Geller baniu do mercado o uso de “avermectinas”, um agrotóxico poderoso barrado em outros países. A decisão impulsionou as exportações da J&F aos EUA. Suspeita-se que isso pode ser o fato gerador dos 30 milhões de reais aos congressistas.

Publicidade