Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Início da campanha eleitoral tem apagão de pesquisas nas capitais

TSE não tem registro de sondagens das candidaturas oficializadas em 12 cidades.

Por Manoel Schlindwein Atualizado em 29 set 2020, 20h21 - Publicado em 30 set 2020, 10h32

A campanha eleitoral começou no domingo, mas, para os eleitores de 12 de 26 capitais – Brasília está fora do pleito – que terão disputa, a primeira semana de corrida eleitoral será de completo apagão de dados.

Segundo o TSE, não há pesquisa de opinião pública marcada para ser divulgada nos próximos dias em Aracajú (SE), Boa Vista (RR), Cuiabá (MT), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Macapá (AP), Natal (RN), Porto Alegre (RS), Rio Branco (AC), Salvador (BA), Teresina (PI) e Vitória (ES).

Boa Vista (RR) simplesmente não teve sondagens neste ano – e nem há previsão. A última pesquisa com intenção de voto a prefeito em Aracajú (SE) foi divulgada em 24 de julho. Em Florianópolis, a pesquisa mais recente é de 4 de setembro e, por enquanto, o eleitor segue sem saber quando será a próxima.

O cenário é bem diferente em capitais como Manaus (AM), Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP), onde os institutos prometem divulgar nos próximos dias os números de sondagens que já captam as chapas oficiais dos candidatos que vão aparecer nas urnas em 15 de novembro. Palmas (TO), veja só o leitor, conta hoje com quatro pesquisas rodando a cidade atrás da opinião do público.

Os registros de pesquisa são feitos no TSE pelos próprios institutos e podem levar até 24h para serem divulgados. O volume de registros aumenta conforme a proximidade com o final da corrida eleitoral.

Uma resolução da Justiça Eleitoral prevê que as pesquisas a serem divulgadas publicamente devam ser registradas até cinco dias antes da veiculação, sob pena de multas que podem chegar até aos 106.400 reais.

Certamente há uma infinidade de pesquisas a todo o vapor pelo país inteiro, inclusive em cidades menores, mas elas são de acesso restrito. São pesquisas encomendadas por partidos e que servem para definir estratégias internas.

Continua após a publicidade
Publicidade