Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia e Mariana Muniz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Indústria parada

A Alcoa parou de produzir alumínio em sua fábrica de Poços de Caldas. Falta de demanda? Nada disso. O motivo diz muito sobre o Brasil de hoje: como é autossuficiente em energia, a Alcoa fez as contas e percebeu que faturaria mais negociando eletricidade do que produzindo alumínio. A alta no preço da energia no […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 07h27 - Publicado em 10 nov 2012, 10h08

Sede da empresa em Poços de Caldas

A Alcoa parou de produzir alumínio em sua fábrica de Poços de Caldas. Falta de demanda? Nada disso. O motivo diz muito sobre o Brasil de hoje: como é autossuficiente em energia, a Alcoa fez as contas e percebeu que faturaria mais negociando eletricidade do que produzindo alumínio. A alta no preço da energia no mercado spot foi de 410% nos últimos doze meses.

(Atualização. “A Alcoa esclarece que não é verdadeira a informação de que a empresa parou de produzir alumínio em sua unidade de Poços de Caldas (MG). Até o final de outubro deste ano a fábrica produziu 78 mil toneladas de alumínio e deverá aproximar-se da capacidade instalada em 2012;  A empresa não é autossuficiente na produção de energia elétrica. Temos 70% de autogeração e os outros 30%, necessários para nossas operações, são adquiridos por meio de contrato de longo prazo com uma concessionária de energia;  O core business da empresa é a produção e comercialização de alumínio e não a comercialização de energia. Apenas a produção excedente de energia é vendida, como acontece com outras empresas autoprodutoras. Apesar dos desafios encontrados nos últimos anos, a Alcoa reafirma seu compromisso de quase 50 anos no Brasil, não medindo esforços para manter suas operações no País, assegurando o emprego de milhares de pessoas, realizando investimentos significativos, ofertando produtos aos seus clientes e apoiando as comunidades em que está inserida. A Alcoa tem a expectativa de que o Brasil volte a ter custos competitivos em nível global, em especial de energia elétrica, para garantir a sustentabilidade de seus negócios”)

Publicidade