Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Importação de alimentos e bebidas da Itália cresce 18% em 2021

Entre janeiro e setembro, brasileiros compraram mais de 100 mil garrafas de vinho italiano; feira quer ampliar o faturamento

Por Laísa Dall'Agnol Atualizado em 11 out 2021, 13h28 - Publicado em 11 out 2021, 17h30

As importações brasileiras de alimentos e bebidas da Itália cresceram 18% entre janeiro e setembro deste ano em relação ao mesmo período de 2020.

Os dados são da Italian Trade Agency e mostram que foram movimentados 176 milhões de dólares, contra 149,1 milhões de dólares no ano passado.

Também na comparação com igual período de 2019, sem os efeitos da pandemia, o crescimento neste ano é de 11,3%.

Os números animam a próxima edição da campanha Sabores da Itália, que começa em 14 de outubro. A expectativa é que as vendas de produtos italianos cresçam em ao menos 10%.

No ano passado, durante a promoção, foram vendidos 25 toneladas de arroz e preparações para risoto, 80 mil garrafas de vinho, 40 mil litros de azeite, 65 toneladas de massa, 15 toneladas de farinha de trigo e 10 toneladas de embutidos e queijos.

Quase 150 lojas de cinco redes de supermercados — Mambo, Festval, Oba Hortifruti e SuperNosso, além da Casa Santa Luzia e da Evino — vão vender produtos como massas, farinha, vinho, arroz, azeite, queijos, embutidos e vinhos com preços diferenciados.

Continua após a publicidade
Publicidade