Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Guerra aberta

Quando parece ter chegado ao limite, o clima no PDT piora mais um pouco. O pau quebrou na reunião da Executiva Nacional do partido, ontem, em Brasília, entre Brizola Neto e aliados de Carlos Lupi, para variar. Em tom irônico, Brizola Neto acusou a bancada pedetista da Câmara de, vira e mexe, atuar como se […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 06h44 - Publicado em 5 mar 2013, 13h28

Mais um capítulo da batalha

Quando parece ter chegado ao limite, o clima no PDT piora mais um pouco. O pau quebrou na reunião da Executiva Nacional do partido, ontem, em Brasília, entre Brizola Neto e aliados de Carlos Lupi, para variar.

Em tom irônico, Brizola Neto acusou a bancada pedetista da Câmara de, vira e mexe, atuar como se fosse oposição só para enfraquecê-lo no ministério. O comentário revoltou o líder da legenda na Casa, André Figueiredo, e o deputado Vieira da Cunha.

O bate-boca ganhou força na reação de Vieira da Cunha, que acusou a irmã de Brizola, Juliana, de xingá-lo nas redes sociais e provocar militantes do partido a picharem baixarias contra ele, Veira, no Rio Grande do Sul.

Nada indica que, até a eleição do novo mandatário pedetista, no dia 22, a situação vai melhorar.

Continua após a publicidade
Publicidade